quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Você sabia que na Rússia bebe-se leite de burra?

Você sabia que o famoso "leite de burra" mostrado no Chaves realmente existe? E mais do que isso, não só existe como era considerado uma bebida sagrada pelos pagãos da Horda!

Imagem relacionada
Famoso por um episódio do seriado "Chaves", o leite de burra era a bebida sagrada da Horda
Durante os tempos em que os mongóis tinham um grande império conhecido como "Horda" (daí veio o nome da famosa facção do videojogo Warcraft) o poderio do khan se extendia do extremo-oriente até as estepes do sul da Rússia. As cidades-Estados da Rússia medieval pagavam a eles tributos pesados, o poder era completamente descentralizado e o príncipe (knyaz) tinha a função de chefe militar e jurista, ele era eleito pelos comerciantes ricos da cidade e pelos boiardos. Um desses knyazi, Alexander, da dinastia ruríquida, tornou-se um famoso comandante aos seus 19 anos, após expulsar os suecos das margens do rio Nevá, onde hoje está a urbes de São Petersburgo. Ele tornou-se vassalo da Horda, pagando pesados tributos ao Batu Khan mongol. Essa relação não foi fácil e ele, assim como Danilo da Galícia e outros príncipes que se voltaram para a Horda em missões diplomáticas importantíssimas para a época, eram submetidos a provas ordálias para que estes príncipes, cristãos, fossem "purificados pelos elementos", incluindo aí o fogo. Uma das etapas, considerada pelos príncipes russos como a mais humilhante, incluía beber o kumys, conhecido pelos brasileiros como "leite de burra", graças ao popular seriado Chaves. 

Resultado de imagem para Кумыс
O kumys
O kumys pode ser preparado tanto a partir do leite da égua quanto a partir do leite da mula, seu valor nutricional é altíssimo e no mercado europeu (cujo fornecedor principal é a Sérvia) é vendido a mil euros o quilo. Um artigo do sítio virtual medicial Medportal nos informa os valores exatos das propriedades do leite de burra. Até hoje, em países como o Cazaquistão, há raças de cavalos próprias não apenas para a produção desse tipo de leite, como também para o abatimento para o consumo de sua carne. Na Rússia, em alguns restaurantes típicos de comida da Ásia Central é possível pedir kumys. Muitos povos turco-mongólicos da parte asiática da Rússia ainda têm como parte de sua refeição a bebida que para os povos pagãos está como a água benta para o cristão.

Os príncipes russos deveriam passar pela prova do fogo e beber o kumys (leite de égua ou mula), bebida sagrada da Horda xamânica, a rejeição a essa tradição, bem como ao ato de se curvar ao Batu Khan levou ao martírio do príncipe Mihail Tchernigovskiy
Por isso, da próxima vez que você ouvir falar de leite de burra, lembre-se que não era pouco o nível de cultura do famoso Seu Madruga!

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Matéria sobre brasileiros na Rússia no UOL

A reportagem da UOL (filmagens de Marcus Mesquita)

https://www.uol/copadomundo/especiais/brasileiros-na-russia.htm#brasileiros-na-russia


Acabei de ler uma reportagem em vídeo, feita de forma profissional sobre os brasileiros na Rússia. Em geral, eles gostam da vida na Rússia, um deles, futebolista, diz que se sente 50% russo e 50% brasileiro, suas filhas cresceram na Rússia, ele espera ver Brasil e Rússia na final da Copa do mundo, outro, capoeirista, diz que no começo foi difícil, houve situações de racismo, quando ele diz que as pessoas tinham medo de sentar-se ao lado dele no metrô, entretanto ele afirma que no Brasil é pior, pois no Brasil isso é mascarado, todavia, as garotas falam da situação mais difícil. 

Por alguma razão, os homens brasileiros tem relativa facilidade para achar uma namorada na Rússia, mas com as garotas é diferente, quase todas as brasileiras que conheci na Rússia têm namorados do Brasil. Um fenômeno parecido ocorre com garotas de outros países do Ocidente e a razão para isso pode estar na criação, muitas mulheres russas e de outros povos orientais são criadas com noções de feminilidade e para que se tornem esposas exemplares, elas gostam de agradar ao marido de diferentes formas. A águia da Federação Russa pode até ter duas cabeças, mas faz parte do mesmo corpo, mas aparentemente, os russos partilham a filosofia chinesa de que "dois tigres não podem conviver na mesma montanha". Minha ex-namorada gostava muito de trazer para mim canudinhos de leite condensado comprados ns mercados da Diksi, em meu aniversário, mesmo sendo ex, sempre me presenteia com soldadinhos de chumbo coloridos, que ela sabe que eu adoro. Concordo com os homens do Brasil que não é raro que algumas mulheres no Brasil se apresentem de forma histérica, tenho pessoas assim na família, e eu percebi há tempos que na Rússia não gostam de manifestações de histeria, inclusive alguns chegam a criticar desenhos como "Masha e o Urso" (Masha e Medved) e desenhos ocidentais como o Pica-Pau por estes apresentarem comportamentos histéricos, filmes russos feitos com base em clichês ocidentais também são criticados por trazerem "heróis histéricos tais como os do cinema americano". Um famoso documentário soviético espinafra os Beattles por estes terem desencadeado uma onda de histeria no Ocidente. Eu mesmo já fui assim, ainda que pouco, mas esse defeito do caráter eu passei a remover aos poucos na Rússia.

Todos os brasileiros, excluindo o capoeirista (que tem seu grupo social, isto é, a capoeira) e o futebolista expuseram a opinião de que os russos são fechados. Em minha opinião, isso não corresponde à verdade. Eu tive uma educação militar no Exército Brasileiro, poucos brasileiros têm essa chance, lembremos que o tamanho do EB é de cerca de 150 mil, em sua maioria absoluta formado por homens, é uma instituição na qual falam de disciplina, companheirismo, espírito de corpo (coletivismo), dentre outros valores da instituição que coincidem com aqueles que ensinavam nas escolas da URSS e até hoje ensinam em determinados círculos (clubes da juventude, clubes de airsoft, etc), quando saí do Exército Brasileiro como oficial, eu tive um grande choque, por que eu já estava entre os "paisanos" e vi novamente o espírito do individualismo, "cada um por si", "ninguém deve nada a ninguém". Apesar de que eu tinha apenas 22, se minha vida acabasse, isso aconteceria com satisfação, devido à sensação de dever cumprido. Foi tão difícil que meus cabelos começaram a cair, dando lugar a gorros, boinas e chapéus.

Eu penso que cada pessoa deve aprender as tradições e costumes russos, pois assim a Rússia se tornará bem mais interessante. É como trocar de jogo, se em um você aperta ASDW para o personagem se mexer, e no outro você aperta A e ele pula, você precisa se mexer nas setas.

Pessoalmente, as minhas primeiras impressões sobre a Rússia foram as melhores, quando eu voltei à Rússia temi que ela já não fosse tão interessante quanto da primeira vez, mas quando voltei fui recebido por um casal maravilho so de Moscou, que me ensinou a patinar no gelo, convidaram-me para um aniversário de seus amigos, nós cantamos no karaoke, fomos à dacha. Conheci uma maravilhosa e agradável garota que me convidou para festejar o gélido ano novo de Moscou com ela e seus amigos, e conheci uma amiga leal, que com o seu amigo (que Deus o guarda) me levou à sauna russa pela primeira vez.

Valorizo cada segundo que passo na Rússia, pois sei que para milhões de brasileiros isso é um sonho, poder andar nas ruas sem ter medo de ser ameaçado por bandidos armados com fuzis, sem temer se deparar com demônios capazes de apagar completamente e sem nenhum receio a chama da vida para se apossar de um celular ou um anel. Homens, mulheres, crianças, o pesadelo do crime desorganizado no Brasil não pouca ninguém para atos macabros de decapitação, estupros dentre outros crimes contra a humanidade aos quais são submetidos mais de 60.000 brasileiros, um número de vítimas superior ao de todos os atentados terroristas juntos na Europa. O brasileiro pode dormir sossegado sem temer que alguém invada a sua casa e roube você e a sua família, ele pode defender os valores tradicionais de família sem ser apresentado por extremistas histéricos como um "racista", dentre várias vantagens que a vida na Rússia propicia.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Fotos da Operação Centelha (Iskra)

O blog Russificando, o mais famoso blog brasileiro sobre a Rússia publica as fotos do fotógrafo brasileiro Marcus Mesquita da Operação Iskra, que se deu no povoado de Volossovo, Região de Leningrado.
A Operação Centelha (Operatsiya Iskra) foi uma grande operação das forças do Exército Vermelho, comunista, contra o Wehrmacht, nazista. A Operação Centelha resultou na aniquilação do terrível Cerco de Leningrado, seguido da vitória houve uma grande festa, um renascimento da cidade, em janeiro de 1944.
A reencenação histórica russa, feita com a dedicação de milhares de pessoas, ganha participação e reconhecimento internacional, a cada ano atraindo pessoas de mais e mais países, seja como participantes, seja como espectadores deste grande evento patriótico.

Русскоязычная версия