terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

50 impressões sobre a Rússia

Tendo estado na Rússia e estudado há mais de 10 anos a sua história e suas tradições, tive as seguintes impressões do país:

Uma característica marcante da Rússia: a preservação da tradição

1 - Ao contrário do que é apresentado em filmes ocidentais, os russos são um povo bastante receptivo. É normal chegar na casa de um russo e ser recebido com uma mesa feita. É comum receber presentes durante a visita. Também é normal que um homem ou mesmo uma mulher, convide você para aparecer em sua casa ou sair apenas por amizade, sem segundas intenções.
2 - Ainda sobre a receptividade dos russos, os VIPs russos são frequentemente pessoas acessíveis. Já conheci pessoalmente no Brasil e na Rússia diretores de companhias russas, o presidente Vladimir Putin, diplomatas russos e agentes de segurança, um empresário russo, o vice-diretor da agência espacial russa, advogados e oficiais russos, incluindo dois generais. Com todos eles falei como se estivesse falando com um conhecido (exceto com o presidente russo, que apenas cumprimentei). 
Na Rússia, quando comentei que no Brasil meras personalidades como juízes, advogados e certos profissionais liberais se acham deuses, eles ficaram espantados, especialmente quando falei do caso de uma policial que foi presa por dizer que "juiz não é Deus".
3 - A principal palavra da língua russa, que a distingue bastante de outros idiomas, é o uso constante da palavra "nash" (nosso), em alguns casos também "my" (nós). Isso pode ser facilmente percebido em filmes do cinema soviético e russo, quando o narrador fala "eles defenderam a nossa terra", "nosso país", nunca se referindo à Rússia ou à URSS no cinema soviético em terceira pessoa, como geralmente estamos acostumados a falar do Brasil. Há uma organização chamada "Nashi" (Nossos) e é comum alguém dizer "eto nashi" (esse é um dos nossos), nunca "lá estão russos", ou "lá vivem russos", mas "lá vivem os nossos". Se no hino nacional do Brasil falamos em "o Brasil", nunca falando em "nosso país", o hino da Rússia fala em "nossa potência", "Rússia querida, o nosso país" logo em seu início.
4 - Como em um famoso filme de Arnold Schwarzeneger, ator austríaco que interpreta um miliciano soviético, os russos gostam muito de trocar presentes, especialmente durante um encontro ou despedida.
5 - Nem todo "russo" é russo. Na língua existe a palavra "russkiy", que designa o russo étnico, e a palavra "rossiyanin", que designa alguém da Rússia. Embora em seus passaportes todos apareçam como "Russo" ou "Russian" no inglês, na Rússia há mais de 300 nacionalidades, povos centenários ou milenares que convivem no mesmo território há centenas de anos e têm suas próprias tradições, costumes e línguas, embora todos falem russo. Quando tomei um táxi com um motorista do Daguestão, país da Federação Russa que tem o tamanho do Rio Grande do Norte, ele me contou como lá se fala mais de 30 línguas diferentes. Há também um grande número de imigrantes da Ásia (em especial China e Mongólia), da Ásia Central e do Cáucaso, especialmente da Armênia e Geórgia. Eles são diferentes, fisicamente, dos russos étnicos, e preservam tradições e costumes diferentes. Essa presença estrangeira é bastante visível em Moscou, onde há inclusive milhares de africanos vivendo, em especial universitários, além de centenas de latinos. É possível encontrar ainda, em número menor, ingleses e italianos vivendo em Moscou.
6 - Na Rússia as portas podem abrir para fora (НА СЕБЕ) ou para dentro (ОТ СЕБЕ). Essa informação poderia parecer irrelevante, não fosse o fato de que elas são geralmente de madeira maciça, pesadas, para servir de isolamento térmico durante o inverno. Elas também podem emperrar durante essa época e entender para que lado abrem pode ajudar.
7 - Os lares russos possuem portas que parecem cofres de banco, duas ou até três portas de aço. Achei isso um tanto assustador, mas minha amiga de Tula me contou que elas foram instaladas nos anos 90, quando a criminalidade na Rússia era muito alta (na era soviética eram usadas portas comuns de madeira) eram comuns furtos, roubos e até invasões de lares para usar os banheiros ou consumir bebidas e narcóticos, mas a situação melhorou muito nos últimos anos.
8 - As cidades russas transmitem bastante segurança, me senti bastante seguro andando no centro de Moscou após as 10 horas, no subúrbio Planernaya depois das 12:00 e também caminhei 3 quilômetros em Tula ao lado de uma amiga sem a menor sensação de risco. Vi outras pessoas fazendo o mesmo.
9 - Os policiais russos são bastante prestativos em inúmeras ocasiões, mesmo conhecendo as direções dos metrôs, os policiais me orientaram corretamente sobre que metrô tomar e alguns até mesmo usaram os seus telefones para fazer uma consulta quando não sabiam. Tanto os policiais da "Politisya" regular quanto os do "DPS", a polícia de trânsito.
10 - A Polícia russa é um órgão federal subordinado ao MVD, o Ministério dos Assuntos Internos.
11 - Os russos adoram uniformes! Essa é uma marca do país. Quando mostrei o novo uniforme dos carteiros a alguns brasileiros, pensaram ser algum uniforme de general, mas era de carteiro. Promotores usam uniformes (lembremos de Natalya Poklonskaya), ferroviários usam uniformes, agentes da receita tem seus pomposos uniformes, agentes de fronteira tem uniformes e nossos policiais federais usando meras camisetas estilo a que usamos para ir à bodega da esquina na imigração.
12 - Na Rússia os gatos estão para os russos como os cães para os brasileiros. Há algum tempo, numa rede social, uma russa me oferecia "um gatinho como lembrança de Ulyanovsk", charges frequentemente contem gatos, retratando-os positivamente.
13 - Algumas celebridades russas usam o metrô, na saída do Metrô de Moscou pude conhecer o famoso ator Oleg Menschikov, que tirou fotos com um de seus fãs, mesmo estando apressado.
14 - Os russos são bastante organizados quanto à mobilidade, pois há placas indicando por onde os que vão devem ir e por onde os que vem devem ir. Assim, não há perigo de se esbarrar em alguém.
15 - Em cidades como Moscou as pessoas estão sempre apressadas, geralmente caminham rápido, algumas vezes até correm no metrô, assim nunca acontece de você estar apressado e ter uma "tartaruga" na sua frente impedindo o trajeto.
16 - O Metrô de Moscou não é só um meio de transporte, é também um museu subterrâneo que fala sobre parte da história do país, especialmente o período soviético (incluso a sua Revolução de Outubro), os esportes da Rússia, além de estações que homenageiam os povos que fizeram parte da URSS, em especial os bielorrussos e ucranianos, nas estações "Byelorusskaya" e "Kievskaya".
17 - Os russos frequentemente demonstram um grande respeito pelo período soviético, a maioria é saudosista, conforme indicam pesquisas do Instituto Levada. Muitas ruas possuem o nome de líderes comunistas e muitas praças contem monumentos a Lenin. No metrô isso é ainda mais visível, basta ver o nome de algumas estações: "Marxista", "Proletária", "Rua 1905", "Praça da Revolução", "Lubyanka" (sede do antigo KGB), "Dmitrovskaya" (em homenagem ao líder da internacional comunista), "Frunzenskaya" (em homenagem a um dos líderes da revolução, Mihail Frunze), Krasnogvardeyskaya (em homenagem à Guarda Vermelha), dentre outras. Muitos russos também visitam diariamente o Mausoléu de Lenin e o túmulo de Iósif Stalin.
18 - É muito grande, na Rússia, a popularidade de nomes como Lenin, Stalin e Putin, frequentemente representados em camisas, canecas, bottoms, retratos, quadros, etc. Muitos russos que conheci apoiam o presidente Putin, especialmente por ter atenuado os impactos do capitalismo na Rússia da Era Yeltsin, por sua simpatia a valores soviéticos e principalmente pela forma como conduz a política nacional. Essa popularidade pode ser vista também dentre estrangeiros. Lembremos que há alguns meses atrás, dois rappers americanos, negros, oriundos de um bairro pobre, compuseram uma canção sobre Putin, enfatizando-o como exemplo para a comunidade negra. No Brasil é mais comum vermos à venda chaveiros e camisas de times de futebol.
19 - As mulheres russas são em geral muito bonitas, essa é talvez a única coisa verdadeira que o ocidente publica sobre a Rússia. São em geral esbeltas, com longos cabelos e bastante femininas, dificilmente têm espinhas ou marcas na pele, talvez conservadas assim pelo clima frio. O mesmo se aplica às mulheres da Ásia e do Cáucaso que vivem na Rússia, geralmente morenas com longos cabelos, parecendo brasileiras. É muito raro na Rússia ver uma mulher com menos de 50 anos "acima do peso". É um MITO achar que todas as russas são altas. Talvez cerca de 30% delas tem mais de 1,75, mas a maioria tem até 1,70, isto é, também há muitas russas baixinhas.
20 - Os russos gostam bastante de ler, durante a época soviética eles eram tidos como o povo que mais lia no mundo. Se o brasileiro médio lê cerca de 1 livro por ano, segundo as pesquisas, os russos estão entre os 10 povos do mundo que mais leem segundo pesquisa da UNESCO de 2007. Por isso se você fazer muitos amigos na Rússia, desligue a TV e comece a ler um livro.
21 - Na Rússia percebi muito poucas TVs. Se no Brasil mesmo nos lares mais humildes encontramos TVs HDs de última geração, em alguns casos mais de uma, na Rússia, em muitas casas, incluindo de pessoas de maior poder aquisitivo como advogados, muitas vezes sequer há uma TV. Em alguns casos há TVs velhas, todos os russos que conheci que tinham uma TV disseram ter recebido "de presente".
22 - Os russos têm sempre uma biblioteca em suas casas, onde pode-se encontrar diversos tipos de livros, especialmente sobre história, assuntos profissionais e literatura.
23 - Russos gostam de longas discussões, não é raro que após elas eles convidem você para beber algo, cantar e tocar e se estiver muito tarde, dormir na casa deles.
24 - A sauna russa, conhecida como "baniya", é uma tradição para muitos, uma tradição que já não é tão comum devidos aos altos preços. É comum, dentro delas, usar uma "budyonovka" (gorro da época da Guerra civil), e tomar uma cerveja. Algumas são para um só sexo, outras unisex.
25 - A moradia é um problema nas grandes cidades russas, conhecidas por serem pequenas e bastante caras.
26 - Muitos russos apoiam a causa da "Novorrússia", um país em formação no Leste do Ucrânia, na região carbonífera do Donbass. Os russos tem feito muitos esforços para receber os refugiados da guerra e apoiado materialmente os combatentes do Leste da Ucrânia.
27 - É comum observar nas grandes cidades russas uma fitinha com as cores negra e laranja, trata-se da famosa "Fita Georgiana", uma fita bastante usada e gratuitamente distribuída durante o dia 9 de maio, o Dia da Vitória (sobre o fascismo alemão), data mais importante do país. Recentemente a fita ganhou um novo significado com os conflitos no Leste da Ucrânia, simbolizando também apoio à causa do Donbass. Muitos russos utilizam-nas em suas bolsas e em seus carros, geralmente amarrada no retrovisor.
28 - Os russos são bastante patriotas, muitos orgulham-se de seu país, alguns preferem a União Soviética, outros mesmo preferem o Império Russo. Uma minoria, porém expressiva, é mais voltada para o ocidente, geração influenciada pela Glasnost e pela Era Yeltsin.
29 - Um dos esportes favoritos dos liberais russos é falar mal da Rússia, um bom exemplo disso era Valyeria Novodvorskaya, liberal e anticomunista fervorosa que chegou a pedir aos EUA que invadissem a Rússia. Ela era deputada. Lembremos que atualmente um dos filmes russos que fazem sucesso no ocidente é "Leviatã", um filme feito por liberais cujo atrativo maior é "falar mal da Rússia".
30 - Há alguns filmes conhecidos por praticamente todos os russos, trata-se do russo "Brat 2", de ação, que para alguns foi instrumental para destruir o "sonho americano" na Rússia durante os anos 90, e das comédias soviéticas "Kavkazkaya Plennitsa" e "Zdravstvuyte, ya vasha tyotya". Elas contem muitas citações que hoje em dia fazem parte do cotidiano do russo.
31 - O cinema russo atual é muito ruim, nada comparado ao soviético. Muitos filmes são imitações de filmes Holywoodianos. Alguns filmes como "Legenda nomer 17", "Gagarin" e agora um filme sobre Lev Yashin melhoraram um pouco as coisas.
32 - Russos não tem problemas com filmes antigos, desde que sejam de boa qualidade. É comum em nosso país, quando falamos de um filme, alguém perguntar logo se o filme "é 3D" ou avaliá-lo com base em efeitos especiais purpurinados, esquecendo-se da mensagem do filme, da atuação, etc
33 - Nos cinemas da Rússia há em geral filmes americanos de Holywood.

34 - Tendo andado pelas ruas da Rússia, percebi muito pouco lixo nas ruas. Alguns russos, entretanto, dizem que as ruas da Rússia "são sujas e as da Bielorrússia são limpas". De fato, Belarus é conhecida por ter ruas exemplarmente limpas, todavia quando um russo disser que "as ruas são sujas", ele quer dizer "são limpas, mas há algumas pontas de cigarro", "são limpas, mas você pode ver algumas garrafas deixadas por aí". Em comparação com as ruas brasileiras as ruas russas realmente são bastante limpas.
35 - Na Rússia há 3 grandes religiões predominantes, o Cristianismo, adotado pela maioria da população, o Islamismo e o judaísmo. Além dessas há outras religiões na Rússia, incluindo o xamanismo e hinduísmo. Os cristão da Rússia são em sua esmagadora maioria ortodoxos.
36 - Apesar da Igreja Ortodoxa parecer com a Igreja Católica para alguns desavisados, ela é muito diferente. Em primeiro lugar, na ortodoxia não há "papa", há diversos patriarcas. O patriarca da Igreja Ortodoxa Russa é o patriarca Cirilo.
37 - O Patriarca Cirilo frequentemente aparece na TV da Igreja Ortodoxa pregando o respeito e a convivência com as demais religiões da Rússia.
38 - Apesar de ter 3 grandes religiões, na Rússia jamais houve uma guerra religiosa nas mesmas proporções do ocidente ou do Oriente Médio. É possível ver em várias cidades "templos das três religiões".
39 - Na Rússia é mais comum ver negros na TV ou em anúncios do que no Brasil, onde frequentemente são representados apenas como "escravos", "empregados" ou mesmo ridicularizados na TV. Lembremos que diferente do Brasil e dos Estados Unidos, a Rússia não conheceu a escravidão dos negros. Alguns, como Gannibal (avô de Pushkin), alcançaram status de nobreza, outros eram servos de alto perfil, para muitas famílias da nobreza russa era sinal de prestígio ter um servo negro, situação indicada na obra "Guerra e Paz".
40 - Muitos valores ocidentais são estranhos à Rússia, considerados "artificiais", como "imposição e colonização cultural". Lá a única "grande parada" é a Parada da Vitória em 9 de maio, quando é celebrada a libertação da Rússia e de outros países das hordas do fascismo alemão, nessa data o Alto-Comando do III Reich assinou a sua rendição incondicional ante o Marechal G. Júkov, em Berlim, no ano de 1945.
41 - Na Rússia, em especial em Moscou, há uma expressiva comunidade negra, geralmente estudantes de países da África. Por isso não se admire se você for um e alguém te perguntar se "você é universitário" (ty studyent?). Tendo conversado com muitos deles, muitos citaram como a principal dificuldade o regime nas universidades russas, que é muito puxado.
42 - A programação da TV russa, como a da maioria das TVs do mundo, em especial a nossa, é parte ruim, porém há excelentes programas de debates intelectuais como o "Poyedinok", com Vadim Solovyov, "Sud Vremeni", com Sergey Kurninyan e Svanidze, dentre outros. Esses programas são indiscutivelmente mais democráticos do que os ocidentais, já que apresentam pessoas com diferentes tendências políticas, liberais, comunistas, sociais-democratas, ocidentalistas, tradicionalistas, em vez daquilo que estamos acostumados a ver no ocidente, onde temos geralmente ou liberais ou sociais-democratas, todos ocidentalistas.
43 - Os programas musicais russos são geralmente muito ruins, quase sempre cópias baratas do showbussiness ocidental.
44 - Cantores populares na Rússia podem adquirir um sucesso expressivo na internet, sendo um bom exemplo disso o artista cossaco Igor Rasteryayev e a cantora russa Darya Kolesnikova, popularmente conhecida como "Nasha Dasha" (lembrem-se do que falamos sobre o "nash, nasha, nashe"). Eles transmitem a alma do povo, não se trata de música "comercial". Também é expressivo o sucesso de cantores como Pelageya, que canta sobre o folclore da Rússia antiga e dos cossacos.
45 - O Brasil está para muitos russos como o México para muitos brasileiros, isto é, ele traz lembranças da infância e da juventude por causa de suas telenovelas, que tinham enorme popularidade nos anos 80, ainda na União Soviética, e nos anos 90, na Rússia. Quase todo russo que já ouviu falar do Brasil assistiu pelo menos "O Clone", dentre a geração mais antiga temos ainda "Escrava Isaura".
46 - Na Rússia um dos mais famosos autores brasileiros é Jorge Amado, é possível encontrar nas livrarias e bibliotecas, especialmente a Tchitay-Gorod, obras de Jorge Amado em russo.
47 - Livros na Rússia são incrivelmente baratos! É possível encontrar edições de "Os Irmãos Karamazov" ou "Crime e Castigo" com capa de luxo por apenas 7 reais, e nós no Brasil pagamos mais de 60 reais por um clássico desses! Apesar disso muitos russos consideram esse valor caro (em comparação com a época soviética eles estão certos, na URSS eles custavam centavos).
48 - A terminologia "democracia" nem sempre é positivamente percebida na Rússia, isso por que para muitos russos ela representa o roubo de povos nas Américas, na África, os bombardeios na Sérvia, na Líbia, na Síria e as "centenas de toneladas de pura democracia" lançadas pelos bombardeiros invisíveis da OTAN. Em vez disso muitos preferem o termo "amizade dos povos", "poder popular", "poder responsável", etc
49 - Políticos russos são criativos. Um dos candidatos à presidência, o comunista Gennadiy Zyuganov (sempre o segundo mais votado), é autor de livros. Outro candidato famoso, Vladimir Jirinovskiy, canta suas próprias músicas de campanha, onde geralmente fala da Rússia ou critica os Estados Unidos.
50 - Os russos tem um grande respeito pelas suas personalidades históricas. Não há na Rússia um único monumento pichado, avistei flores depositadas em monumentos como o de Vadim Kuzmich e Zoya Kosmodemyanskaya, Heróis da União Soviética, no Metrô Partizanskaya, do Marechal Júkov, na Praça Vermelha, no Mausoléu de Lenin e no túmulo de Stalin, sempre em mais de uma oportunidade. Por isso se você for a Rússia, procure sempre uma floricultura para depositar flores nestes monumentos.

Um comentário:

  1. Ricardo Costa Russo (Manaus, Amazonas)25 de janeiro de 2016 16:41

    Muito boas suas observações sobre a Rússia. Estive lá em 2015 e fiquei apaixonado. Espero voltar algum dia.

    ResponderExcluir